Encantamento e Fosfenismo
ENCANTAMENTO E FOSFENISMO

Contrariamente às ideias preconcebidas, não é possível interferir à distância no cérebro de outra pessoa e impor-lhe o nosso próprio pe

ENCANTAMENTO

O folclore menciona numerosas histórias de Feitiços e maus destinos. Perante às descobertas em fisiologia cerebral do Doutor Francis LEFEBURE, médico e investigador francês, é possível compreender os mecanismos que governam as trocas energéticas entre os seres humanos e distinguir a realidade da ficção. As investigações do Dr. LEFEBURE são fundadas sobre a utilização sistemática do FOSFÉNO. Os FOSFÉNOS são todas as sensações luminosas subjetivas, quer dizer as que não são provocadas diretamente pela luz que bate na retina. Podemos produzir um fosféno fazendo curtas fixações de fontes luminosas. O Dr. LEFEBURE e os seus colaboradores praticaram numerosas experiências de telepatia FOSFÉNICA e puderam estabelecer leis de fisiologia cerebral desconhecidas até hoje.

Contrariamente às ideias preconcebidas, não é possível interferir à distância no cérebro de outra pessoa e impor-lhe o nosso próprio pensamento. O pensamento ritmado, pelo contrário, é facilmente transmissível por telepatia. O ritmo introduz um elemento de estruturação no pensamento e confere-lhe uma potência superior. Para compreender melhor, tome o exemplo dado pelo Dr. LEFEBURE: a analogia do vento e do pensamento.

«O pensamento é como as massas de ar anárquicas: o gasto de energia é grande, mas o efeito total é fraco. Por exemplo, o vento não atravessa as paredes. Mas se ritmar o ar produz um som. Este último, embora milhões de vezes mais fraco que a energia do vento, atravessa facilmente as paredes. Toda a diferença deve-se ao ritmo da energia. Do mesmo modo, quando as massas de ar se reúnem e são provocadas num movimento ritmado e em espiral, tomam uma potência capaz de arrasar cidades e regiões inteiras: são os tornados e os tufões.»

O pensamento ritmado projetado sobre outra pessoa tem por efeito amplificar os seus ritmos cerebrais e por conseguinte os seus pensamentos. O conteúdo dos pensamentos do recetor é por conseguinte primordial e é este fator que define os resultados da operação. Os ritmos cerebrais são neutros. Ainda que o emissor se obstine a transmitir pensamentos negativos, estes não influenciam a qualidade da energia transmitida. É o nível do treino com o pensamento ritmado que o determina.

A energia vital e os ritmos cerebrais não são intimamente bons ou maus. É a qualidade dos pensamentos ativados por esta energia que conta. Para fazer uma comparação simples, a gasolina pode servir de combustível para um veículo, mas também pode ser utilizada para começar um incêndio. Da mesma maneira, a energia amplifica os pensamentos do recetor de maneira neutra, os bons como os maus. É por conseguinte o estado de espírito do recetor que determina os efeitos da transmissão da energia. O meio e a atmosfera na qual banha o recetor influenciam amplamente os seus pensamentos, assim como os fatores socioculturais alteram a visão do mundo do indivíduo.

O Dr. LEFEBURE fez a analogia seguinte: «Sobe para uma bomba sobre a qual está ligado.» Os ritmos cerebrais servem de bomba, os pensamentos do indivíduo é o tanque no qual esta bomba extrai os pensamentos. Os ritmos cerebrais são os amplificadores dos pensamentos. Conferem-lhes a energia intensificando-os. Convém por conseguinte ter cuidado e utilizar os ritmos cerebrais com certa sabedoria.

Os ritmos cerebrais aumentam os pensamentos, amplificam as crenças e os preconceitos do recetor. Esta operação pode ser negativa se a pessoa for demasiado impregnada de certas crenças populares.

Nas culturas onde o folclore se refere à bruxaria, feitiços e possessões, plana um sentimento geral de perseguição que, amplificado pelos ritmos, pode tornar-se em verdadeira paranoia. Acontece a mesma coisa com as pessoas que gostam da literatura duvidosa que opera sobre eles um efeito de sugestão. Pensando que estão sob uma influência maléfica, estas pessoas procuram exorcizar-se ou tirar o bruxedo, enquanto o mal está simplesmente na sua mente. A operação é meramente psicológica: a uma sugestão corresponde uma contra sugestão.

A natureza e o cosmos não são invenções humanas, a esse respeito não são portadores de prejuízos. São puros e não veiculam ideias negativas. Uma flor é-nos hostil? Uma estrela quer-nos mal? Não, a menos que seja completamente paranoico… Antes de se inspirar de uma literatura de má qualidade ou superstições primitivas, porque é que não se deixa levar pelas energias da natureza e do cosmos?

Ver igualmente: influência à distancia

Exercício de Conjugação FOSFÉNICA:

• Escolha uma imagem da natureza ou do cosmos (árvore, flor, mar, montanha, estrela, galáxia, etc.)
• Faça um FOSFÉNO.
• Contemple a imagem que escolheu de 15 a 60 minutos, com a ajuda de um apoio fotográfico, ou melhor, partir do próprio elemento (escolha uma árvore ou uma estrela, por exemplo, e contemple este objeto), faça um novo FOSFÉNO sempre que considere necessário.
• Em segundo lugar (talvez uma vez vindo a si), faça um FOSFÉNO e pense na imagem que contemplou.
• Tente encontrar a sua lembrança. Visualize o objeto no interior do FOSFÉNO.
• Refaça um FOSFÉNO de 5 em 5 minutos. Pratique este exercício de 15 a 60 minutos. Acoplado à prática do pensamento ritmado, este exercício permitirá dirigir a sua energia numa direção portadora e certa. Renovando esta prática regularmente, fará rapidamente sonhos ou viverá extensões de consciência em relação com a imagem que escolheu.
Uma maneira para «tirar o bruxedo» do seu cérebro…

© Fosfenismo - Extrato de «Universo Energia Fosfénica».

FOSFENISMO - Escola do Dr. LEFEBURE
Pratique também o Fosfenismo.

Faça o download GRATUITAMENTE

«UNIVERSO ENERGIA FOSFÊNICA»

e aprenda a transformar
a energia luminosa em energia mental.