PEDAGOGIA FOSFÉNICA

Gaelle C. - FRANÇA - 97 Ilha da REUNIÃO
Resultados obtidos com o meu filho pela Conjugação Fosfénica em Pedagogia.
O meu filho tem 8 anos. Durante o mês de Fevereiro a situação na escola deteriorou-se muito. Até agora os resultados eram bons, contudo uma tendência para sonhar nas aulas e não ia sempre muito contente para a escola. É uma criança hipersensível, bastante tímida por momentos, com um forte caráter, interessa-se imenso por coisas e pode passar horas a estudar um domínio que lhe interessa. Começou a sonhar cada vez mais nas aulas e dizia que andava muito cansado, a sua atenção reduzia-se cada vez mais. Pedia mesmo para descansar durante as aulas. Houve um grande aborrecimento com a professora antes das férias de Março. Por conseguinte fui convocada pelo diretor. Já via a senhora regularmente no quadro do acompanhamento do seu trabalho escolar. Com o pai tínhamos encarado mesmo a possibilidade de o tirarmos da escola. Foi decidido que o nosso filho veria o psicólogo escolar para lhe fazer testes de capacidades. Por conseguinte decidi procurar um método para o ajudar a favorecer as suas capacidades de atenção e de concentração. Foi assim que encontrei o Fosfenismo na Internet. Durante uma dezena de dias nas férias escolares pratiquei o Fosfenismo com o meu filho. Trabalhava cerca de 15 minutos e 3 vezes por dia. Os primeiros resultados foram constatados sobre a sua capacidade de escuta, que fosse a escola ou na vida diária, na vida diária era muito mais recetivo, quando lhe pedia para vir para a mesa, levantar a mesa, arrumar as suas coisas, etc. Tudo se passa na calma, tem muito menos objeções. Com a sua timidez, houve também um nítido progresso, senti-o com mais confiança.

Com o ditado que lhe dava muitos problemas, utilizei a técnica da visualização de uma ou duas palavras com o fosféno e para pensar no que acabava de ler, escrevia as palavras com os olhos fechados. Temos bons resultados, não tem mais nenhuma apreensão e as duas últimas notas foram de 8/10.

Na matemática lia o exercício, fazia um fosféno pensando neste e depois fazia o exercício. Quando se tratava de um problema de matemática vejo que as ideias lhe vêm rapidamente. Ultimamente com as subtrações onde tinha tendência a contar pelos dedos, os resultados vieram-lhe naturalmente. Para anedota dizia-me «é demasiado fácil mamã».

Com a leitura, faz um fosféno, espera um pouco ou põe-se sob uma luz para iluminar o texto e assim não é incomodado pelo fosféno. A leitura é muito mais rápida, é inegável, muito boa elocução, com um ritmo e entoação. Vive o seu texto.

Na escola, não me diz mais que não quer ir, disse-me mesmo que estava contente de ir e que tudo se passava bem com a professora. Que Alívio! Permanece ligeiramente sonhador mas nitidamente menos, não tem mais problemas de comportamento. Não se queixa mais de cansaço.
Obrigado por este método.


Sonia - FRANÇA
Recomecei a revisão dos meus manuais para um exame próximo. Reviso obviamente com os fosfénos, e é inegável que memorizo mais facilmente. Estou impaciente que o ano escolar recomece para encontrar as minhas crianças e transmitir-lhes esta fosfénopedagogia. É um instrumento formidável!


Franck - FRANÇA
A minha amiga fez praticar o seu filho Hugo, que tem 10 anos. O que deu muitos resultados. É impressionante. No início do ano, ele não tinha uma escrita bonita (tremida, atravessada, etc.) progressivamente durante o ano, a sua escrita transformou-se completamente. Tem agora uma escrita muito bonita (bem regular, direita, as letras ligam-se bem, etc.) e sobretudo, tornou-se no 1º aluno da turma. As crianças são realmente muito recetivas ao Fosfenismo.


Franck - FRANÇA
O meu irmão, que é polícia (policia municipal exatamente), decidiu fazer uma formação na polícia para poder evoluir no seu trabalho. Como parou os seus estudos há muito tempo, temia voltar a estudar e não ter o nível necessário para ter êxito nos exames que queria passar. Por conseguinte aproveitei esta ocasião para o fazer descobrir o fosfenismo, porque não sabia de forma alguma o que era. Há mais de um ano e meio, tinha-lhe oferecido um kit de fosfenismo, para o trabalho com a Conjugação Fosfénica. E bem, há algum tempo, tive a feliz surpresa quando me telefonou para me agradecer por lhe ter indicado o fosfenismo. Pensa que foi graças a este método que obteve bons resultados no seu exame e que o Fosfenismo ajudou-o muito na memorização e também adquiriu confiança em si. O facto de ter visualizado bem os fosfenos fê-lo ter êxito nos seus exames, ser confiante e calmo durante os mesmos. E funcionou muito bem, com efeito passou todos os exames com confiança e segurança e obteve bons resultados.


Patrick - FRANÇA
O Fosfenismo é realmente fabuloso no domínio dos estudos. Utilizei assim com muito sucesso. É como se fosse batota, mas neste caso, podemos. Os estudos aparecem verdadeiramente em frente dos olhos durante os exames. É um verdadeiro regalo aprender com o fosféno. Pessoalmente, projeto o fosféno sobre as minhas lições como é explicado na Conjugação Fosfénica.


Quentin D. - FRANÇA
FOSFÉNOS E ESTUDOS. Estou no último ano de estudo em engenharia informática. Em pleno período de frequências, existe uma cadeia em que tenho dificuldade. Pede compreensão, mas também muitos dados a aprender de cor. Tenho pouco tempo…e porque não, utilizar o fosfenismo? Utilizo o método seguinte, com o Kit Lâmpada:
- Fixação da lâmpada para ter o fosféno
- Leio o curso através do fosféno, cuidadosamente.
- Uma vez o fosféno terminado, re-fixo a lâmpada, mas durante o tempo de fixação penso no que acabei de ler (do melhor que posso…)
- Continuo a minha leitura através do fosféno…
- Uma vez estudado, recomeço, quer com tudo, quer sobre as partes «sensíveis» da lição. Memorizei relativamente rápido. Além disso, as associações de ideias fazem-se claramente e a lição foi aprendida com sucesso.
No exame, tive a melhor nota da classe. Ora que não trabalhei muito no final…
O fosfenismo faz ganhar muito tempo, e age de maneira positiva sobre as capacidades intelectuais e na atenção. Utiliza-lo para os estudos, pode ser, penso eu, muito benéfico, desde que seja utilizado corretamente. Estou certo que uma boa quantidade, de estudantes ditos «maus», «medíocres» … poderiam ficar surpreendidos se lhes pusessem os bons instrumentos nas mãos…!


Pierre D. - FRANÇA
Eis o que pude observar sobre mim mesmo, sobre as minhas crianças e sobre algumas pessoas do meu ambiente após mais de 2 anos utilização do método.

- para os períodos de ensino escolar (primário e secundário):
Permite uma melhor concentração, e ajuda a memorizar.
Canalizando a energia, reduz as tendências naturais à dispersão, e traz a concentração necessária ao estudo e à compreensão e facilita a fixação do que deve ser memorizado pela projeção mental do que deve ser retido no fosféno.
Permite reduzir o insucesso escolar e de voltar a dar às crianças perturbadas ou pressionadas as mesmas possibilidades que os seus colegas.
Em especial, a utilização simultânea do fosféno, a leitura/recitação em voz alta associado à escrita manuscrita permite fixar definitivamente os problemas de ortografia.

- para o ciclo superior e os concursos:
Permite armazenar grandes quantidades de conhecimentos, utilizando particularmente a memória visual. A utilização de fosfénos é completamente indicada para armazenar massas de conhecimentos muito importantes pedidas nas grandes escolas (matemática, física, química), medicina, biologia e ciências naturais.

- para os movimentos complexos de ginástica (dança, acrobacia) e a resolução dos problemas de coordenação do corpo bem como a dislexia:
Associar um movimento ao fosféno (memorização cenestésica) permite a realização sem bloqueio e memorizar.

- nas profissões da criação e nés invenções:
A projeção dos problemas ou das ideias no fosféno permite obter rapidamente uma quantidade de ideias muito propícias à criação e a inventividade.
Estas funções não interessam unicamente aos artistas, criadores e inventores mas também a qualquer pessoa que tenha necessidade de ter ideias (desempregados, responsáveis de empresa, engenheiros etc. perante os problemas a resolver). Os Fosfénos têm por consequência secundária harmonizar a personalidade e ver as coisas de maneira muito positiva. A esse respeito, fazendo regularmente os fosfénos, as pessoas cujo comportamento é agressivo evoluem num sentido muito positivo porque faz surgir o melhor da personalidade.
Podemos imaginar a sua utilização nas prisões, com os drogados e nas pessoas com comportamentos depressivos.


Stéphane S. - FRANÇA
FOSFÉNOS E REFLEXOS.
Observei praticando uma sessão de fosfénos, que alguns minutos antes de brincar com um jogo vídeo, ganhava mais facilmente, incontestáveis vitórias sobre os meus inimigos virtuais. As minhas constatações sobre dois jogos de combates ultrarrápidos. Nos dois casos, os meus reflexos são mais afinados, a audácia acoplada (tentei golpes que nunca teria ousado anteriormente), a rapidez é acentuada e improvisa-se mais facilmente na ação. A adrenalina é dominada e surpreendi-me a ter longas e intensas batalhas sem perder; a compreensão do jogo é melhorada: sobre níveis que pensava ter explorado a fundo, encontrei novos recantos, novas estratégias, novas maneiras para manipular esta ou aquela arma…

Não penso que este testemunho traz grande coisa à evolução da humanidade, mas era simplesmente para assinalar que no que diz respeito à rapidez e a precisão, a energia fosfénica uma vez mais realizou o seu serviço. Uma sombra contudo: estes jogos agora não têm mais interesse, ficaram quase demasiado fáceis, vou ter de comprar outros!


M. Eloi G. - GABÃO
Ter-vos-ei ao corrente dos efeitos observados no seguimento da prática da Conjugação Fosfénica e o uso do alternofone. Queiram notar contudo que o meu filho de 14 anos (está no 4° ano, e até agora esteve sempre entre os 4 primeiros da turma, e este trimestre o primeiro da turma) está muito feliz e motivado pela prática da Conjugação Fosfénica no estudo das suas lições.

A esse respeito, a última observação que ele me fez foi a seguinte: «Desde que estudo com os fosfénos, não me esqueço mais do que aprendo, temo em armazenar demasiadas coisas na minha memória e que falte espaço para tudo que tenho ainda para estudar no futuro».
Naturalmente tranquilizei-o relativamente às enormes potencialidades do cérebro humano e sobre o facto que podia memorizar sem temor tudo o que deseja.
Sinceras saudações.


Marie C. - FRANÇA
OS PROGRESSOS DE CHRISTOPHE 15 ANOS APÓS TRÊS MESES DE PRÁTICA CONJUGAÇÃO FOSFÉNICA.
Caro Sr.,
O meu filho Christophe é uma criança de 15 anos que teve desde sempre enormes problemas em ortografia. Tem uma boa memória. Conhece convenientemente as suas regras de gramática mas uma vez com uma folha à frente, mais nada!
Durante 2 meses trabalhamos com os fosfénos regularmente 2 vezes por semana.
Efeitos no fim de 2 meses de prática: Melhor memorização das palavras estudadas com os fosfénos. Segundo a expressão do Christophe «via-os escritos na cabeça». Onde fazia habitualmente por volta de cinquenta de erros, fazia agora não mais de uma vintena.
Atenção intelectual: maior rapidez de reflexão. A sua evolução que tinha tendência a ser «cortada» tinha-se tornado muito mais fluida. Afirmação da personalidade.
O seu professor de Matemática constatou que ele tinha mudado completamente: uma melhor participação na aula, mais atenção, melhor compreensão.
Técnica utilizada para um ditado de palavras:
- Faz um fosféno.
- Seguidamente pensa na palavra a memorizar, fecha os olhos e examina a palavra na imaginação.
- Seguidamente refaz um fosféno, põe a venda ocular e escreve a palavra (na obscuridade) sem estar a olhar para folha.
Como vê, esforço-me para seguir as suas preciosas indicações contidas no seu livro «O ABC da Conjugação Fosfénica».
Realmente obrigado por ele.