Girascópio
1 - 2



Daniel Fernández
Girascópio complétamente fabricado com material de recuperação
Pratico o Fosfenismo em Espanha e fabriquei um Girascópio seguindo as indicações dadas pelo Dr. LEFEBURE no livro Kundalini Tome 1.
Utilizei uma roda de bicicleta, cartão preto, papel de alumínio, um motor pequeno de um brinquedo de criança e um comando para lançar o motor.
Algumas fotos e um pequeno vídeo permitirão ter uma ideia da minha realização.
Uma precisão, um inversor da corrente permite fazer girar a roda nos dois sentidos e o comando do motor permite variar a velocidade.
Em pouco tempo, obtive experiências fantásticas
Agradeço Francesc CELMA, representante do Fosfenismo em Espanha por me ter feito descobrir os trabalhos do Dr. Lefebure.


Dimitri S.
Pratico todas as noites, antes de me deitar, durante uma hora a meditação Girascópica com a ajuda do Girascópio Virtual. Desde a segunda semana obtive vários sonhos conscientes. Depois sonhos de voo que tentei dirigir como pude. Ao fim de um mês e meio, acabei por compreender graças às conversas com o Sr. Stiennon que não devia procurar dirigir os sonhos, mas aceitar o que vinha. O exercício sobre a concentração de um detalhe da imagem ou de uma sensação, permitiu-me amplificar rapidamente as experiencia e sobretudo prolonga-la.
Num período de três meses, além das deslocações com velocidades vertiginosas, fui acordado por deslumbramentos interiores. Uma luz «sobrenatural», vinda de não sei onde, preenchia completamente o meu campo visual.
Uma vez o meu corpo pôs-se a ondular tão fortemente que os cobertores acabaram por deslizar para o chão o que me fez acordar completamente. Outra vez, pensava que era o meu corpo físico que se punha a ondular, tive a surpresa de observar que finalmente era o meu duplo. A consciência do meu corpo etérico levado por uma ondulação vibratória foi uma experiência muito marcante.
Três meses depois do início do meu treino com o Girascópio Virtual posso dizer que sinto muito bem a energia da Kundalini. Esta energia manifesta-se cada vez mais vezes com sensações ondulatórias que conduzem ao desdobramento ou viagem astral, ainda chamada extensão da consciência nos universos essencialmente constituídos de sensações.
A minha perceção do estado de vigia, tanto no meio no qual vivo como com as pessoas que frequento cada dia, modificou-se profundamente. Direi uma só palavra, sinto-me muito mais forte para não dizer muito potente interiormente, ficando muito reservado perante cada situação. Uma espécie de calma ou força tranquila instalou-se em mim. Tenho uma grande gratidão para o Dr. LEFEBURE.


Girascópio confecionado a partir de um gira-discos de recuperação.

Rydy C.
Utilizei simplesmente um gira-discos e um disco vinil 33, dividi o disco em 12 quartos, colei 6 quartos de papel branco em alternância com os 6 outros quartos pretos do disco que pintei com preto mate. Coloquei o gira-discos na vertical e à altura dos olhos, tenho portanto um disco giratório com 33 voltas/minuto que fixo com uma iluminação direta, durante uma sessão de 45 minutos todos os dias. Cada 3 ou 4 minutos, desligo a luz e fecho os olhos durante cerca de um minuto, fazendo por vezes balanços da cabeça.
Rapidamente (desde o segundo ou terceiro dia), vi o disco em rotação ao acordar. Quero dizer, com os olhos fechados ao acordar, vejo um disco cinzento claro girando no meu caos visual (evidentemente em vez do disco em vinil que fixo todos os dias). Girando, aparece lentamente depois, desaparece lentamente (para deixar o caos visual habitual) depois volta a aparecer e desaparece da mesma maneira… Direi que entre o aparecimento e o desaparecimento, há um período de 3 segundos. O disco giratório apareceu no máximo quatro vezes ao acordar. Frequentemente, apareceu duas vezes de seguida. Evidentemente, até aí, poderia pensar que não havia nada de especial. Salvo que um dia, precisamente uma manhã, tive uma ideia grotesca. Depois da primeira aparição do disco, quando desapareceu, sem duvida para voltar a aparecer, disse-me «era engraçado que aparecesse à girar no outro sentido». Evidentemente, o meu desejo era grotesco porque nunca tinha visto o verdadeiro disco girar no outro sentido. Nesse dia o disco no caos visual pôs-se a girar no outro sentido! E duas vezes de seguida como o tinha desejado.
O que pensa disto?
- - - - - - - - - - - - - - - - -
Resposta: Como explica o Dr. Lefebure no seu livro: «Kundalini Tome 1» esta experiência põe bem em evidência que existe uma contra força no cérebro e saber utilizá-la conduz ao desperto da Kundalini.