Girascópio
1 - 2

Lux Kywalker (pseudo fórum).
Posso afirmar, eu que fui um dos autores de um dos Giracópios Virtuais propostos no «ESPAÇO PESSOAL», e após ter testado os outros, os das Edições PHOSPHENISME excedem de longe todos os que foram feitos até agora. Acreditem que é um bom investimento. Eu que tinha problemas de visualização, posso fazer um pensamento rotativo sem problema e com os olhos abertos, o que me ajuda muito nos meus exercícios de rotação da cabeça, porque reforça os efeitos destes e, posso sentir a boa velocidade da rotação sem ter recurso aos fosfénos. Bom, aí está, estou muito entusiasta e incentivo os outros a obter este instrumento muito eficaz.


Daniel P.
Desde que utilizo o Girascópio Virtual pro, faz agora dois meses, uma a duas noites por semana faço sonhos em consciência. Não tenho ainda o controlo completo dos meus sonhos mas estou consciente que sonho. No meu sonho (mas será ainda do domínio do sonho ou não seria antes o desdobramento astral ou as extensões de consciência?), estou consciente que se trata de um sonho e que posso agir, até certo ponto, sobre o seu conteúdo.
Logo que começo a tomar consciência que sonho, esforço-me em aplicar o exercício da concentração sobre um detalhe. O que não é fácil porque as sensações e as perceções dominam sobre o exercício. Mas observo quando consigo, que o sonho consciente é mais intenso e sobretudo, dura muito mais tempo. Muitos sonhos de voo a velocidades que encontro bastante impressionantes e que desembocam bastante sobre a sensação de elevação num movimento em turbilhão. Agradeço Daniel STIENNON pelos conselhos pessoais que me quis prodigalizar durante o estágio.


Jean C (35 Rennes).
Sou magnetizador e curandeiro e sobre os conselhos do Sr. Stiennon, o meu trabalho com o Giroscópio Virtual consistiu essencialmente em projetar um fosféno giratório e praticar os exercícios do 3° nível sobre as costas das minhas mãos. Uma noite sonhei com as minhas mãos, apareceram-me como uma bola de luz energética posta na palma. Esta bola luminescente rodopiava. De manhã, observei que as minhas chacras das mãos estavam abertas. Desde esse dia, o meu dom de magnetizador desenvolveu-se de maneira espetacular. Sempre sobre os conselhos do Sr. Stiennon, aprendi a fosfenizar a água em complemento do magnetismo. Utilizo uma garrafa de vidro e uma rolha de cortiça. Cerco-a das minhas mãos e projeto um fosféno e uma meditação girascópica com o desejo de cura. Todos os doentes me dizem que sentem a energia após ter bebido um copo; assim pude ajudar na cura de patologias. Obrigado por tudo.


Marco D.
Possuo o Girascópio mecânico e o Girascópio Virtual. Se tenho um conselho a dar a um novato, seria começar pelo Girascópio Virtual porque este permite, não somente obter a postura mental justa, mas também facilita os exercícios de visualização. Além disso, parece-me que o Girascópio Virtual tem uma ação muito mais profunda sobre a psique e por consequência, permite experiências psíquicas muito mais acentuadas. Isto não me compromete. O manual de utilização é claro e completo. Praticamente uma vez por semana obtenho uma experiência intensa. Nomeadamente, encontro-me com o meu guia espiritual, foi um momento muito forte. Seguindo os conselhos de Daniel STIENNON cheguei em pouco tempo a poder dialogar com este. Todas as perguntas de ordem pessoal obtiveram respostas.
A minha gratidão.


Alain G.
Graças à respiração superficial tal como é explicada no livro do Dr. LEFEBURE o Pneumoféno e na prática do Girascópio Virtual, pude obter numerosas «viagens astrais» e durante uma delas, apercebi uma luz pela qual apareceu um personagem que se apresentou como sendo o meu guia espiritual. A emoção foi muito forte, quebrei a experiência. Mas aplicando os conselhos do Sr. STIENNON, pude renovar a experiência e agora posso praticamente chegar a uma forma de diálogo. Digo «forma», porque há ao mesmo tempo uma comunicação por telepatia, praticamente do domínio verbal mas sem ter recurso à ginástica dos lábios; porque como diz bem Daniel STIENNON, «o mundo do espírito é oposto ao mundo da matéria, o que faz que mesmo num sonho banal o diálogo estabelece-se por telepatia. Os lábios não movem». Desde este primeiro encontro, a minha vida alterou muito. Obrigado em particular ao Daniel STIENNON para a atenção que me quiz dar.


Pierre D.
Durante o meu primeiro mês de prática com o Girascópio virtual, não se passou nada, exceto, e é assim mesmo importante, que dormi mais profundamente que de hábito e que ao acordar sentia-me bem mais descansado, mais disposto e sobretudo com este sentimento de estar cheio de energia. Ao fim de um mês e meio de prática, por volta das cinco horas da manhã, senti-me como arrancado fora do meu corpo num movimento num turbilhão ascendente. O meu espanto foi muito grande, e quanto mais me sinto espantado mais o movimento ascendente acelera. Tinha a impressão de voar nos ares a grande velocidade. Foi prodigioso. Voo, faço loopings, vejo luzes, apercebo cores e desato-me a rir foi maravilhoso. Talvez um pouco demais, porque aquilo acabou por me acordar.


Jean-Marc R.
Faz agora 3 meses que pratico com o Girascópio virtual, e que ao mesmo tempo estudo os meus manuais de direito com a lâmpada do Dr. LEFEBURE. Eis o que observei entre o 2° e o 3° mês de prática. Uma ou duas vezes por semana, o que no início parece um simples sonho transforma-se em sonho consciente seguidamente em sonho dirigido, em sonho de elevação e de deslocação a grande velocidade em paisagens conhecidas ou desconhecidas. Muito frequentemente, este desdobramento ou extensão de consciência toma uma forma de turbilhão, enquanto o meu duplo se desloca a grande velocidade sobre um plano vertical, mas igualmente com o sentimento que me elevo em direção não sei de que galáxia. Tento tanto quanto possível impregnar-me, durante a meditação girascópica, de noção de astronomia. Aconteceu-me uma vez ter a sensação de me fundir com uma estrela, o que me provocou uma tal emoção de alegria e de bem-estar que acordei com as lágrimas nos olhos com os pensamentos: «como tal coisa é possível?» Obrigado ao Fosfenismo por me ter permitido viver tal experiência.


Jean-Michel M.
Ao 20° dia de prática com o Girascópio virtual por volta de 30 min de prática todas as noites, faço conscienciosamente seguindo as indicações no manual e com o uso da lâmpada do Dr. LEFEBURE colocada a 20 centímetros, eis o que obtive. Apenas adormecido, sou acordado por uma violenta luz que ilumina todo o meu campo visual (realmente surpreendente), seguidamente o meu corpo, ou, penso mais exatamente, o meu duplo põe-se a vibrar ao sexto de segundo durante uma dezena de segundos. Seguidamente sinto-me aspirado como se estivesse num vortex constituído de estrelas. Quanto mais o meu duplo se eleva, ou a minha consciência se destaca do meu corpo, mais, tenho o sentimento de ter uma grande clareza na consciência. Ao fim de um momento, a minha ascensão pára e sinto-me como num estado de micro gravitação ao nível dos meus pensamentos. Os meus pensamentos tornam-se tão ligeiros e voluptuosos que tenho a impressão de os poder ver, sentir, palpar (muito impressionante). Foi então que pensei: e se tentasse provocar um movimento de rotação girascópica. Reconsiderando o ponto de concentração que gira no Girascópio virtual, decidi lançar os meus pensamentos como uma pédra num fundão. Assim que acabei de elaborar esta prática senti-me deslocar com uma velocidade «supersónica». O meu espírito preenche-se de alegria e felicidade e quanto mais se preenche deste sentimento, mais sinto juntar-se em mim um sentimento de euforia que se transforma muito rapidamente num sentimento de plenitude, para terminar num sentimento de Nirvana e de êxtase. Sem que se saiba como, acordo e encontro-me na minha cama. Observo o meu caos visual (ou meu chacra frontal) e aí, foi como se observasse um caleidoscópio. O único qualificativo que me vem à cabeça é a palavra grandioso.


Tristan
Os meus principais pensamentos eram uma bola luminosa de cor dourada, indo da chacra de base, até ao cimo da cabeça e que se tornava violeta dando ao mesmo tempo uma pulsação à chacra de base vermelho ao 6° de segundo com o mantra mental «KI». Seguidamente, quando me fartei deste movimento de pensamento, visualizei a coluna vertebral pulsar ao 6° de segundo; com efeito, deixo-me ir ao pensamento do momento, esforçando-me para o manter suficientemente levando o ritmo até ao cérebro, às vezes subia uma esfera pulsante que parava e pulsava em cada chacra. Às vezes, um leque de faíscas que subia girando no sentido dos ponteiros do relógio. Em contrapartida, não consegui manter o mesmo sentido de rotação e o movimento de translação de baixo para cima. Uma vez o exercício bem assimilado, aumentava a respiração superficial que me dava uns picos de calor impressionantes. À noite, um primeiro sonho ocorre, mas a minha consciência ainda está adormecida até que os meus pés se descolem do solo, e aí, a minha consciência começa a despertar. Visito lugares e saio do sitio onde me encontro. Apercebo um cão que não tem nada de melhor para fazer, que atacar-me no pescoço! Pouco importa, sei que sou astral e que não arrisco nada, por conseguinte não me preocupo mais com a situação. E o cão acaba por me soltar e de repente, mudo de divisão e encontro-me num dormitório com outras pessoas. Deixo-as falar entre elas e abro a janela. É muito alto! Penso que em princípio, devo poder voar e decido lançar-me no vazio, aí, foi o êxtase. Mergulho no meio dos planetas, um dos quais se assemelha com a terra, a velocidade é fabulosa e deixo-me levar, seguidamente todos os planetas se tornam em bolhas de água que diminuem e acordo. Permaneço um bom momento com o acuféno e uma bola luminosa na minha frente.


René C. - FRANÇA
Antigo aluno do Dr. LEFEBURE.

Fotografias do meu Girascópio que confecionei, muito simples e fácil a utilizar. - um móvel de 1m de altura
- 3 tábuas de 1m x 0,25m
- uma de 1,35m x 0,25m - espessura 15mm.
- um tubo flexível que se fixa sobre o berbequim e que vai até à parte de traz do Girascópio. O pequeno mandril recebe o caule que vai até à placa de 6 lâminas.
- um interruptor para a lâmpada.
- um relógio para os minutos.


Zied. - FRANÇA
As fotografias do meu Girascópio.

kundalini yogakundalini yogaKundalini yoga

Nicole L. - FRANÇA
O meu companheiro pratica regularmente o Girascópio durante uma hora todos os dias e constatámos uma inversão: sou eu, a sua companheira, que obtém geralmente as experiências iniciáticas. Vejo regularmente galáxias em turbilhão sobre elas mesmas fechando os olhos, sem estar a fazer os exercícios para as obter. Foi graças a ele que obtive estes magníficos estados. À noite encontro-me regularmente no cosmos entre as estrelas e as galáxias, é uma sensação das mais agradáveis que existe.


Laurence R. - FRANÇA
Esta noite, estava sentada na minha poltrona após a minha sessão diária de 30 minutos de Girascópio com palas de cores.
Fechava os olhos para descansar do dia de trabalho, quando, em plena consciência, vi cintilações de cor violeta, como estrelas muito pequenas que me acolhiam no seu universo mágico.
Estava encantada com estas visões de tal beleza.
Seguidamente ao longe desenhava-se uma multitude de estrelas policromas de um vermelho vivo, de um azul intenso, de um amarelo incontestável e a minha consciência explodiu, levada por um potente turbilhão de luz branqueada.
Apercebi o meu guia sob forma feminina, de aparência serena e cheia de amor.
Fantástico. Sem outras palavras. Obrigado.


Dominique V. - FRANÇA

Faz 21 anos que sou professor de Yoga e desde essa data, de 3 em 3 anos, volto regularmente à Índia ao encontro de diferentes yoguis ou swamis com vista a obter o desperto completo da Kundalini. Durante todos os anos, tive efetivamente alguns resultados, mas não com a potência e a grandeza que esperava.
Sem acreditar muito, utilizei o Girascópio do Doutor Lefebure e aí reconheço que tudo o que obtive dificilmente durante 20 anos, obtive em 3 meses.
Incentivado por este novo método de desperto, sobre as suas indicações, instalei o Girascópio acima de mim. Não realizei grandes palas como preconiza, mas inclinei suficientemente para obter um fosféno com um bom diâmetro no meu campo visual. De acordo com as suas indicações, estudei igualmente uma maneira superficial os livros de astronomia, a fim de me empenhar mais dos dados astronómicos que filosóficos hinduístas.
Desde que pratico assim, várias vezes e com uma intensidade e uma qualidade cada vez melhores, apercebo-me perfeitamente deste aumento da substância subtil que parte do sacro e que sobe ao nível da coluna vertebral e quando atinge a cabeça permite aperceber uma luz viva interna, seguidamente esta energia surge pelo cimo do crânio e vem em turbilhão por acima da minha cabeça. Seguidamente vem «incidir» em cada uma das minhas chacras, provocando um incrível movimento de rotação.

Encontrei-me várias vezes completamente despertado no cosmos e tenho podido dialogar longamente e manter-me com «guias».
Não saberei dizer-vos a que ponto me permitiu realizar todos os meus desejos, mesmo os mais secretos.


Alain R. - FRANÇA

Segui as indicações que dás no livro Kundalini Volume 2 e realizei um Girascópio de 2 m de diâmetro, deito-me por baixo e assim o meu campo visual não tem pontos fixos quando começa a rotação.

Tenho 47 anos e faz agora 2 anos que utilizo diariamente o Girascópio durante 1:00h por dia. Aproveito também dos meus trajetos de automóvel, para ir trabalhar e utilizo o Alternofóne e o Mantratron.

As primeiras experiências em estado de híper-consciência apareceram muito rapidamente a partir das primeiras semanas de treino. Uma delas marcou-me particularmente: no decurso de um «voo», atravessei voluntariamente uma porta e aí senti verdadeiramente uma interpenetração física dos meus átomos (???) com os da porta.

Esta primeira experiência contínua presente em mim de uma maneira surpreendente e muito profunda.
Este tipo de experiência volta de maneira bastante regular.

Ao fim de um ano, sobre os conselhos de Daniel Stiennon, realizei um Girascópio de 2m de diâmetro: tendo uma desaparafusadora como motor, algumas placas finas de poliestireno, cola e papel de alumínio, o conjunto é montado em algumas horas (ver fotografia). E agora, todas as noites durante 1 hora, faço a total: Girascópio de grande diâmetro com Giropulsar e Alternofóne acoplado com o Mantratron regulado a 1/6° de segundo.

Em Outono de 2002, contactei o Stéphane que tinha encontrado em Paris durante os dias de formação contínua e tentamos fazer uma sessão em comum uma vez por semana de acordo com as disponibilidades das nossas obrigações respetivas. Jean-Pierre, encontrado também em Paris, junta-se por vezes a nós, mas de maneira mais irregular.

As sessões com várias pessoas são extremamente vantajosas e os resultados concretos são rapidamente sentidos.
Tenho feito ultimamente várias experiências (à noite durante o meu sono) em estado de híper-consciência na qual encontrei uma «Senhora Branca» lindíssima. A sua aparência assemelhava-se ao desenho da Virgem que consta nas imagens religiosas. Agora, sinto permanentemente na base da coluna vertebral uma vibração que não cessa se amplificar. Às vezes esta vibração torna-se num calor intenso e tenho então a impressão de «queimar» no interior. Outras vezes são umas umas grandes bolas de energia mais ou menos «pastosa» que se move, em vez desta vibração com uma nítida tendência a querer subir pela coluna. Devo dizer que todas as sensações são no que me diz respeito realmente muito agradáveis a suportar e não são obsessivas.
O meu testemunho estaria incompleto se não agradecesse à Edith que compartilha a minha vida à mais de 20 anos, pela sua paciência e pela sua compreensão. O treino diário intrometesse necessariamente sobre a vida de família. Tenho a possibilidade de ter uma esposa que, por outras vias que o Fosfenismo, ela faz também, uma investigação espiritual. Podemos assim compartilhar as nossas experiências recíprocas à noite antes de adormecer após ter feito juntos alguns fosfénos.