DESDOBRAMENTO

Mikhael: Fosféno e desdobramento.
Eis uma experiência que me aconteceu uma manhã, por volta das 5 horas: Acordo mas constatando a hora, decido readormecer. Como frequentemente, observo o meu caos visual. É muito denso e luminoso e uma pequena luz esférica amarela no centro do meu campo visual aparece, amarela como a primeira fase do fosféno, a luz põe-se a crescer lentamente, passando pela dimensão do fosféno seguidamente invade todo o meu campo visual. Tinha a sensação que esta luz vinha sobre mim. Seguidamente a luz dissipa-se e tentei abrir os olhos, mas apercebi-me que estava no estado intermédio entre o acordar e o desdobramento e que não podia agir «fisicamente». Continuei a estar calmo e, quase sem transição, encontrei-me num nevoeiro acolchoado acinzentado, consciente de estar num estado não comum. Recordo-me muito bem ter pensado «Estou no astral» e não pude fazer muito mais se não manter a minha calma - o que é para mim já um grande passo… Sem mais transição, «acordei» - ponho aspas porque considero que tinha toda a minha consciência durante a experiência. Aí está. Guardo uma sensação muito positiva desta experiência - o aparecimento do fosféno espontâneo fez-me viver um momento maravilhoso.


Aurinko: premicios de projeção astral
Um momento, entrei numa experiência vibratória intensa e de repente, senti que toda a parte superior do meu corpo se levantava e seguidamente, por ondas, senti descargas elétricas no corpo e a seguir as minhas pernas duplicaram-se rolando sobre o lado, devo dizer que a sensação é aprendente e muito física (impossível de confundir aquilo com um sonho), não pude destacar-me completamente, continuei a estar unido pela bacia e retomei consciência no meu corpo. Quando se está no meio do procedimento, é bastante impressionante a nível das sensações físicas e mesmo ao nível do barulho…


Bruno
Tive a possibilidade de participar uma experiência particularmente rica durante os estágios do mês de Agosto. Uma semana depois o estágio, treinando-me regularmente com os exercícios de balanços e com o girascópio: Na minha cama, enquanto começava a adormecer, ouvi zumbidos muito graves e potentes que alternavam com o ritmo do sexto de segundo, com uma espécie de estalinhos… e, disse-me «lá vou eu!»
Certamente! Encontrei-me numa fração de segundo no quarto ao lado, atravessei a parede com sucesso, encontrei-me de cabeça para baixo e, esticando o braço, pude sentir o chão, sentir a matéria… seguidamente tentei de novo atravessar a outra parede à minha esquerda, mas desta vez, não consegui… tomei então a direção do teto atravessando-o… voava e subia cada vez mais para cima na obscuridade com centenas de pontos luminosos que brilhavam como estrelas à minha volta, foi muito bonito.


Yannik J. - SUÍÇA
Após ter posto em prática corretamente os mantras durante os meus balanços e rotações, pude notar que uma «cruz» (linha ântero-posterior lateral) se manifestou ao mesmo tempo que as projeções luminosas esporádicas que ocorreram após a prática.
Para a pequena história, seguiu-se um bonito sonho de desdobramento. «Em resumo, estava na minha varanda (moro no 12° e último andar). Um grupo passava numa estrada abaixo, pareceria que os membros se reuniram com um objetivo preciso. Salto e dirijo-me para eles flutuando no caminho que me resta a percorrer. Qual não foi o meu espanto quando vi que tinha um grupo de estudantes do Dr. Lefebure. Com efeito, uma criança (é bastante simbólico) iniciou-nos aos balanços laterais. (E foi a primeira vez que senti esta sensação…) Seguidamente, a formadora (professora) que acompanhava esta menina indicou-me a maneira correta para cantar os mantras com a ajuda de uma árvore espessa e com notas coladas em cima…»
Desde dessa altura, a pequena rapariga do meu sonho acompanha-me frequentemente durante os meus sonhos lúcidos ou não. Além disso, ter incluido na prática os mantras e balanços permitiram-me de «colorir» a aura.


Joachim L. - FRANÇA
Após 5 semanas de treino com as tensões estáticas (o curso de desdobramento Astral) por volta de 20 minutos por noite.
Esta manhã, não tendo mais sono, fiquei deitado na cama; de repente, sinto um torpor e vibrações apoderarem-se do meu corpo todo. Decido deixar fazer. De repente tenho como que uma sensação de acordar noutro lugar, como se não fosse eu que tivesse alterado de plano mas era o ambiente que se alterava.
Senti os meus pés como que puxados e a partir em rotação. Houve como uma flutuação, como uma ligeira perda de consciência e encontrei-me num quarto do meu apartamento. Aquilo tinha um lado de vivido e de sonho ao mesmo tempo. Tinha a impressão de estar na minha cama e de estar ao mesmo tempo no apartamento, como se tivesse transportado a minha cama comigo. Foi incrível.


Guillaume P. - FRANÇA
Durante toda a semana pratiquei o balanço vertical e a convergência ocular, cerca de duas horas de exercícios por dia. Nessa manhã, acordo pelas seis horas e não me sentia de forma alguma disposto a levantar-me logo. Voltei-me várias vezes na minha cama para tentar adormecer de novo. E quanto mais tentava adormecer menos conseguia… o que ao fim de um certo tempo começou-me a enervar… Também pus-me de costas e comecei a inspecionar o meu caos visual para descontrair o meu espírito e os meus nervos.

Observava nuvens difusas de cor azul e havia um detalhe, senti o meu corpo descontrair-se muito rapidamente, os meus pensamentos esticaram-se para o infinitamente pequeno e fixaram-se sobre um pequeno detalhe sem grande esforço mental. O ponto tornou-se de repente muito brilhante e tive a sensação de avançar para este ponto. Todo o meu campo visual tomou uma certa profundidade e tive o sentimento de atravessar um véu, tanto a minha visão se tornou clara de repente. Estava agora no meio de uma galáxia na qual avançava preenchido de alegria e apaziguamento. Tive a sensação que me levantava e que a minha cabeça voltava para a esquerda para contemplar melhor esta galáxia da qual tinha uma visão muito nítida… seguidamente, voltei-me mentalmente para a direita e tive o prazer de ver o meu quarto inteiro com os seus móveis, plantas, etc., banhado nesta galáxia. Foi maravilhoso…
Obrigado a si Daniel.


José I. - FRANÇA
Os ensaios que efetuei para verificar a realidade dos efeitos da prática do Fosfenismo revelaram-me que era verdade. Levantei-me às 4:00h da manhã, o meu trabalho começa às 5:00h. Consiste em conduzir automóveis num circuito fechado com pausas de descanso de um quarto de hora. Trabalho no meio da natureza e vejo o sol nascer (que espetáculo!).
Após alguns fosfénos, descanso durante os 15 minutos habituais; utilizo este tempo para dormir e assim recuperar a falta de sono. E esse tempo durou subjetivamente uma a duas horas se não mais; tive visões e sons desconhecidos. Senti o meu corpo tornar-se ligeiro. Ouvi risos, senti a presença das energias da natureza. Seguidamente tive a sensação de subir, subir mais a cima. E de repente parou tudo, a sensação do meu corpo tornou-se mais pesada, densa e abri os olhos sem ter a impressão de estar acordado, porque para mim, não adormeci.
Desde esse momento meu medo da morte diminuiu, porque conclui que tinha visitado os planos astrais. Não me interesso aos mundos do além, mas a minha investigação espiritual refere-se à descoberta da minha tarefa terrestre. Contudo fiquei interpelado pelo que me aconteceu.


Richard - FRANÇA
Desde que pratico o Fosfenismo aconteceu-me várias vezes, sentir um fenómeno de desdobramento enquanto estava totalmente acordado durante o dia. Em geral, tem-se um desdobramento parcial do corpo que se refere apenas aos membros inferiores e superiores.
A primeira vez, o fenómeno aconteceu após uma sessão de girascópio enquanto estava deitado: senti que os meus membros se destacavam do meu corpo físico para se elevarem a cima de mim. Ao mesmo tempo, o meu duplo deitava-se esticando-se desmedidamente e tinha a impressão que o meu corpo se separava em 2, com um grande vazio ao nível da bacia. Seguidamente, pouco a pouco, o meu corpo com muita leveza reconstituiu-se. Estes fenómenos de desdobramento dos membros reproduzem-se agora de maneira mais ou menos regular seja durante as sessões de treino com o girascópio, ou seja à noite na cama, quando me deito. Só nos momentos de calma e de descontração permitem este tipo de experiência.
Contudo, aconteceu só uma vez uma experiência bastante curiosa que assimilo a um desdobramento. Uma noite, acabando de terminar uma das sessões de treino com o girascópio, sentei-me no meu escritório quando de maneira brutal, mas sem nenhuma dor específica, o meu duplo se deslocou do meu corpo físico a cerca de 2 metros para a esquerda. Imediatamente retornou de maneira também brutal para o meu corpo como atraído por molas ou elásticos. Tudo isto durou menos de um segundo mas foi tão impressionante, tanto pela brutalidade do fenómeno como pela velocidade de execução. Tive então o sentimento que o meu corpo físico não estava ainda pronto para deixar o seu duplo ir passear sozinho e chamou-o abruptamente à ordem.
Todos os resultados são encorajantes para quem pratica e confirmo efetivamente todos os trabalhos e investigações do Doutor Lefebure sobre o Fosfenismo.


Gilles P. - FRANÇA
A alga verde.
Desde que pratico os exercícios fosfénicos, não conto mais as experiências de desdobramento e de viagem astrais que se realizaram. Eis uma que quero narrar. Descrevo-vos em primeiro lugar o exercício que pratiquei: deitado de costas e após ter feito o fosféno, imaginei no interior do fosféno um turbilhão de cor verde como a primeira fase do fosféno girando a uma volta por segundo.
Duração do exercício 20 minutos.
O ritmo do segundo sendo o ritmo que governa o tempo físico e terrestre, ajudei-me como preconiza o doutor Lefebure, o Mantraton regulado a 1 segundo. Sou nadador salvador durante os meus lazeres, gosto de praticar a caça submarina e sobretudo explorar os fundos marinhos ao longo da costa mediterrânica. Fazendo em apneia (natação com palmas, sem garrafa), contemplava os pequenos peixes da costa rochosa (tudo isto se passa por conseguinte no plano físico).
A noite que seguiu a minha última excursão submarina e após ter praticado o exercício descrito a cima, desencadeou-se uma experiência muito bonita.
Encontro-me completamente acordado e em plena consciência a observar peixes tropicais em fundos de coral e sobretudo, tinha o sentimento de ser UM com o elemento «água».
Estranha sensação que é a de ter o sentimento que a sua consciência funde com as moléculas da água.
Longa Vida a si Daniel.
E obrigado pelo seu trabalho de preservação da obra do Doutor Lefebure para que apaixonados como eu tenham acesso aos trabalhos desse génio.


Isabelle F. - FRANÇA
As minhas experiências chegam por um som, como um zumbido que vai de um ouvido ao outro. Quando dirijo a minha atenção, este som fica contínuo e a partir daí tenho a sensação de ser aspirada. A experiência começa.
Vejo no meu caos visual formas; quando olho para uma, tenho uma sensação de velocidade, como se perseguisse esta forma. Ultimamente, tive uma experiência muito agradável. À noite, tinha feito o balanço lateral, e no momento de adormecer, senti este som que ia de um ouvido ao outro. Estava como uma respiração que me atravessava a cabeça e sentia uma vibração. É uma sensação muito agradável quando me deixo completamente ir mas não posso ter reação alguma. Senti-me aspirada no meu campo visual, com uma sensação de velocidade e de movimento, quando uma forma com os contornos luminosos permaneceu na minha frente. Parecia um anjo; fazia movimentos com as suas mãos, como para me cumprimentar. Disse-lhe obrigado e para ver o que se ia passar, pedi-lhe que me mostrasse países maravilhosos. Daí o ser luminoso dirigiu-se voando e o escuro abriu-se como uma bruma para dar lugar a um magnífico sol. Havia raios luminosos brancos muito suaves e bolhas cor-de-rosa saíram para vir na minha direção; tive a sensação que rebentavam quando me tocavam. Seguidamente, realizei, que estava no mar, mas com a real sensação que o meu corpo se encontrava nesse lugar. Com as minhas mãos, batia na água; sentia todas as sensações do tocar. A bruma fechou-se novamente devagar sobre a luz; voava por cima da água e via o reflexo do sol na água. No dia seguinte, todo o dia, senti-me com um bem-estar total. Aí está, espero que não tenha sido demasiado inábil para me explicar, porque é tão difícil descrever e dizer o que se sente.